Voiced by Amazon Polly

Ao abrir um negócio próprio o empreendedor deve estar atento a cada detalhe e estar disposto a fazer o que for necessário para manter a sua empresa organizada e em direção ao crescimento. São muitos os desafios e quanto mais estruturadas estiverem as ações, maiores serão as chances de sucesso.

E, um dos principais desafios que o empreendedor enfrenta no início do negócio, é a precificação de serviços. Por isso, resolvemos dar uma mãozinha nessa tarefa tão importante para qualquer empresa, independente do seu porte. No artigo de hoje iremos abordar sobre a Precificação de serviços para MEI: tudo o que você precisa saber para definir os valores ideias. Acompanhe!

 

O que é e como funciona a precificação?

Antes mesmo de aprender a calcular o preço dos seus serviços é importante ter certeza de que você já entende o conceito de precificação e como ela funciona.

A precificação trata da definição do valor dos serviços oferecidos por uma determinada empresa. Normalmente, o cálculo do preço de comercialização do bem ou serviço é feito antes do início das atividades, e deve ser revisado periodicamente.

Uma observação importante: antes de pensar em calcular a precificação de um serviço é preciso ter em mente a diferença entre preço e valor. Preço está relacionado a uma determinada quantia de dinheiro, o valor é referente à percepção dos benefícios (pelo consumidor) que o serviço trará a ele. O preço de um serviço, por exemplo, pode se tornar mais alto quando o valor percebido pelo consumidor se eleva.

Mas, para a composição básica dos preços, precisamos levar em conta alguns fatores bastante específicos, que veremos a seguir.

 

Composição do preço

 Os principais fatores que devem ser levados em consideração na hora de identificar e definir o preço de um produto ou serviço do seu Mei são: os custos, o consumidor, a concorrência e o valor agregado. Juntos, estes elementos ajudam a compor o preço de comercialização de um bem ou serviço.

Agora, vamos entender um pouco mais sobre a importância de cada um destes elementos na precificação de serviços.

 

→ Custo

É a soma dos componentes necessários para a fabricação de produtos ou a oferta de um serviço, que engloba a mão-de-obra, matéria-prima, impostos, entre outros. Eles podem se dividir entre custos fixos (aluguel, serviços de segurança, limpeza, planos de telefonia, manutenção de equipamentos, etc.) e variáveis (matéria-prima, despesas com energia elétrica e água, caso sua produção esteja relacionada ao consumo de água e luz)

 

→ Consumidor

Na hora de precificar um serviço, é fundamental que o gestor conheça o perfil do seu público-alvo, seus hábitos de consumo, necessidades e a capacidade que ele tem de adquirir bens e serviços. Esses dados também vão ajudar a chegar no valor ideal para o seu negócio.

 

→ Concorrência

Ficar de olho na concorrência é importante até nesse momento. Ao ter ideia do preço médio que está sendo cobrado pelo serviço que você pretende oferecer ao consumidor, fica mais fácil de avaliar o mercado e saber até onde você pode ir. Essa análise ajuda o gestor a entender como funciona a dinâmica do mercado e do setor no qual ele pretende atuar.

 

→ Valor Agregado

É assim que o seu consumidor vai perceber a sua empresa. A definição de “caro” ou “barato”, não está somente relacionada ao preço pago por um serviço, mas ao seu valor agregado. O que sua empresa oferece, os benefícios que ele pode conquistar se adquirir determinado bem ou serviço. Ou seja, esse valor está diretamente relacionado à percepção que o consumidor tem do seu serviço.

 

Os três modelos de formação de preços

Existem praticamente, três modelos básicos de precificação que são baseados em custos, na concorrência ou na demanda. Veja cada um deles e tente identificar a melhor estratégia de precificação para o seu Mei.

 

→ Precificação baseada em custos

Esse modelo é o mais simples entre os três. Aqui, a composição de preços é baseada nos custos que a empresa tem para oferecer determinado serviço. Neste caso, aplica-se um determinado percentual em cima dos custos do serviço e define-se o preço deste mesmo serviço.

Para o gestor, no entanto, nesse caso pode ser difícil mensurar alguns custos que envolvem a prestação de um serviço – diferente da oferta de produtos, por exemplo. Por conta disso, nem sempre este é o modelo escolhido por empresas que oferecem serviços ao consumidor.

 

→ Precificação baseada na concorrência

Esse modelo de precificação pode ser bastante útil para o Mei que tem dificuldades em identificar os custos que envolvem a oferta de serviços. Nesse modelo, o empreendedor pode se basear nos preços praticados pela concorrência para definir o preço dos seus serviços.

Mas é preciso ter cuidado. O modelo de precificação baseado na concorrência pode não ser a melhor opção para micro empresas, já que concorrentes maiores tendem a oferecer preços mais atrativos – até por conta da credibilidade que já construíram no mercado e pelos ganhos em maior escala, que são comuns em grandes companhias.

Nesse caso, use os valores da concorrência, apenas como referência. É muito importante ser coerente com a sua realidade e estrutura para não se queimar no mercado.

 

→ Precificação baseada na demanda

Esse modelo é comumente utilizado por empresas que oferecem serviços ao consumidor, já que ele é mais coerente em relação ao valor percebido.

Identificando o preço que o cliente está disposto a pagar por determinado serviço ajuda a definir o preço do serviço que será ofertado ao consumidor.

Imagine, por exemplo, que para oferecer determinado serviço, o seu Mei gaste R$ 200,00, e que você definiu uma margem de lucro de 50%. Neste caso, o preço final do serviço oferecido será de R$ 200,00 + 50% (que será R$ 100,00), chegando ao total de R$ 300,00 pelo serviço.

 

Como calcular o preço da prestação de serviços?

Para calcular o preço de venda ideal do serviço que seu Mei oferece é preciso levar em consideração os fatores de custo, concorrência, consumidor e valor agregado – sobre os quais já falamos nos parágrafos anteriores.

No entanto, é necessário seguir algumas etapas básicas para que este serviço seja precificado da melhor maneira possível. Acompanhe o passo a passo a seguir para a precificação de serviços:

 

1º Passo – Calculo da mão-de-obra

O empreendedor deve identificar o custo da hora da mão-de-obra que deverá ser incorporado ao preço do serviço.

 

2º Passo – Cálculo do preço dos Materiais Diretos Utilizados

Todos os custos com materiais necessários para realização de um serviço devem ser listados e calculados nesta etapa. Em um serviço de pintura, por exemplo, é preciso calcular o preço da tinta, dos rolos de tinta, entre outros materiais que serão utilizados para realização do serviço.

 

3º Passo – Cálculo do custo unitário do serviço

O custo unitário é calculado pela soma do custo proporcional da mão-de-obra e do custo proporcional do material para o oferecimento de cada serviço.

Vamos supor que, para oferecer determinado serviço a um cliente, sejam necessárias 6 horas de mão-de-obra e R$ 100 de materiais. Supondo que um funcionário lhe custasse R$ 10 por hora, o custo unitário do serviço seria de R$ 60,00 + R$ 100,00, totalizando R$ 16,00 em custo unitário.

 

4º Passo – Identificação dos custos fixos e variáveis

Nesta etapa é necessário que o empreendedor identifique todos os custos fixos – tais como aluguel, conta de luz, água, telefone, entre outros – e todos os custos variáveis para calcular o impacto destes custos nos serviços oferecidos.

Este percentual pode ser calculado levando-se em consideração a receita bruta média da empresa. Após este cálculo será possível verificar qual a porcentagem do custo fixo médio do negócio deve ser embutida no preço do serviço oferecido ao cliente.

 

5º Passo – Definição da margem de lucro

Para realizar a precificação do serviço, é necessário que o gestor defina a Margem de Lucro desejada pelo serviço. Essa ML é fixada após a dedução de todos os custos envolvidos para que este serviço possa ser oferecido.

Na hora de fixar esta margem de lucro, é importante considerar também os valores praticados pelo mercado. Definir uma margem de lucro muito alta pode tornar o preço impraticável ou muito acima do preço dos concorrentes.

6º Passo – Cálculo da taxa de marcação (Markup)

O Markup é a taxa definida para o preço de venda de cada serviço. Para determiná-lo, é necessário levar em conta tudo o que já foi definido nos passos anteriores.

Ao contrário do que se imagina, não é difícil calcular esta taxa de marcação. Isso porque, basicamente, o Markup consiste em somar, ao custo unitário do serviço, a margem de lucro previamente estabelecida.

7º Passo – Cálculo do preço de venda

Como último passo, finalmente, temos a precificação do serviço. Ao concluir os passos anteriores você conseguirá identificar todos os custos que envolvem a oferta de cada serviço e definir a margem de lucro que deseja obter com cada um deles.

Assim, já é possível saber o quanto cobrar pelo serviço baseando-se nos custos que envolvem esta oferta aos seus clientes. Mesmo assim, é importante lembrar dos demais elementos que podem influenciar no preço de um serviço, como a concorrência, o consumidor e o valor agregado.

 

Atenção especial às finanças!

De nada adianta você determinar os valores para os serviços oferecidos pelo sei MEI e não cuidar da saúde financeira do seu negócio. Tudo está interligado!

Por isso, procure sempre o controle de todos os processos que envolvem seu negócio. Um empreendedor bem preparado costumar ter uma visão holística do empreendimento e consegue, deste modo, não somente identificar o preço que deve ser praticado pela sua empresa, mas também tomar as melhores decisões para fomentar o crescimento do seu negócio.